Mestres de Cerâmica do Cabo participam de Projeto de mapeamento e catalogação

3 ok

Com 62 anos de atuação, transformando argila em peças de cerâmica, Celé de 73 anos, é um dos metres do Cabo de Santo Agostinho, que participou do Mapeamento e Catalogação de Mestres em Cerâmica Artesanal do Espaço Mauriti. O Projeto, que tem incentivo do Funcultura, foi encerrado nesta quarta-feira (15/02), no Centro de Artesanato Arquiteto Wilson Campos Júnior, situado no bairro da Cohab – às margens da PE-60.
1 ok

O Projeto foi gerenciado pelo Laboratório O imaginário da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), junto com os oleiros do município. Segundo a coordenadora do O imaginário, Ana Andrade, o mapeamento dos mestres serviu para registrar a história do Espaço Mauriti e identificar os mestres em cerâmica do Cabo.

O Mestre Celé foi o primeiro a incentivar o surgimento de novas olarias na cidade, ensinando o ofício a diversas pessoas do município. Surgindo assim, o Mauriti, bairro que se destacou por abrigar várias olarias e envolver dezenas de famílias nos trabalhos com o barro.

Participaram também do evento os secretários de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Moshe Caminha e de Planejamento e Meio Ambiente, Catarina Dourado, além de outros representantes da Prefeitura do Cabo.

2 okCentro de Artesanato – Um das sedes de trabalho dos ceramistas do município é o Centro de Artesanato do Cabo, que foi requalificado pela Prefeitura em 2012 e atualmente é considerado referência para o artesanato de Pernambuco. “Nunca trabalhei em outra coisa há não ser com o barro. Só temos a gradecer a Prefeitura pelo espaço e ao Projeto O imaginário, que nos ensina a produzir de acordo com que o mercado quer”, afirmou o mestre Nena.

“Estaremos junto com os oleiros discutindo ações para melhorar, cada vez mais, a estrutura do Centro de Artesanato para que a produção de cerâmica possa ganhar uma escala maior e que as nossas peças sejam ainda mais conhecidas no Brasil e no exterior”, ressaltou o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo do Cabo, Moshe Caminha.

Para o mestre Celé, o Centro de Artesanato impulsionou as peças de cerâmica. “ Este espaço abre portas para o artesanato de barro e para os oleiros da nossa cidade, oferecendo a exposição e melhorando a comercialização das nossas peças”, afirmou ele. Já o mestre Deó, comentou que o Centro, “facilitou a venda dos produtos e contribuiu para melhorar a qualidade das peças, além de adequar o valor delas no mercado” , disse ele.

SERVIÇO – O Centro de Artesanato funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e aos sábados, das 8h às 16h, para visitação e comercialização dos produtos. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones: 3521-2774 / (81) 9.8526-4873 / (81) 9.8879-6727 e (81) 9.8502-9623.

Texto: Amanda Falcão – Secom/Cabo
Foto: Léo Domingos