Cultura do mel fomenta economia na zona rural cabense
access_time11-12-2019



Por Caio Rodrigues
Fotos: João Barbosa


A Prefeitura do Cabo continua incentivando a cultura do mel na cidade. Todas as terças-feiras, no período do verão, trabalhadores da zona rural realizam a colheita do mel com ajuda da Superintendência de Desenvolvimento Rural. O órgão disponibiliza transporte, oferece apoio técnico na colheita e trabalha o beneficiamento do mel, onde o produto passa por uma centrífuga e depois é engarrafado.

Técnico agrícola e apicultor há 22 anos, José Alves, mais conhecido como Zeca do Mel, possui 170 colmeias. Segundo ele, cada colmeia produz em média de 7 a 10 kg de mel. ‘’O Cabo possui em torno de 50 apiários (conjunto de colmeias). A safra anual fica em torno de 7 a 10 toneladas do produto, mas a zona rural da cidade tem capacidade para produzir até 100 toneladas’’, informou.

De acordo com o superintendente de Desenvolvimento Rural, Aziel Melo, o objetivo é expandir os incentivos para aumentar a produção e, consequentemente, a renda dos trabalhadores rurais. “Estamos estabelecendo convênios com a Associação de Apicultores e Meliponicultores do Cabo para oferecer cursos e capacitação aos apicultores. A zona rural da cidade tem bastante espaço disponível para o fomento dessa e de outras culturas’’, afirmou.

O mel sempre foi utilizado como alimento pelo homem, sendo produzido pelas abelhas a partir do néctar recolhido de flores e processado pelas enzimas digestivas desses insetos, sendo armazenado em favos em suas colmeias para servir-lhes de alimento. Cada colmeia possui entre 60 mil a 90 mil abelhas. A abelha preponderante no Cabo é a africanizada, produtora da maior quantidade de mel.

O mel é o único produto doce que contém proteínas e diversos sais minerais e vitaminas essenciais à nossa saúde. Além do alto valor energético, possui conhecidas propriedades medicinais, sendo um alimento de reconhecida ação antibacteriana. Juntamente com o mel, as abelhas produzem outros produtos importantes como a cera, a geleia real e a própolis.

A distribuição no comércio do produto é feita pelos próprios apicultores. Na cidade do Cabo, são em torno de 30 trabalhadores. A renda anual nos seis meses de safra fica entre R$20 mil e R$25 mil por trabalhador. “Com o convênio entre Prefeitura e a Associação dos Apicultores e Meliponicultores do Cabo haverá mais incentivo aos apicultores, além do desenvolvimento humano e técnico com os cursos e capacitações que serão desenvolvidos a partir do próximo ano’’, afirmou Aziel Melo.





Mais sobre Desenvolvimento Econômico

Prefeitura dará início ao processo de revitalização do Mercadão
access_time23-01-2020

Os times Nova Divineia e Furacão se enfrentam na final da Copa Litoral Sul de Futebol
access_time16-01-2020

Projeto “Amigo Empreendedor” abre inscrição para capacitação
access_time15-01-2020

O Programa Esporte e Vida inicia 2020 com novas atividades físicas
access_time10-01-2020

No Cabo, taxa de ocupação da rede hoteleira para o réveillon superou a de 2018
access_time02-01-2020




Outras notícias

USF Sacramento é a primeira a funcionar no terceiro turno
access_time24-01-2020

Prazo da cota única do IPTU 2020 vence dia 14 de fevereiro
access_time24-01-2020

Secretário estadual do Meio Ambiente faz vistoria na Praia de Itapuama
access_time24-01-2020

Prefeitura do Cabo capacita novos agentes de saúde e endemias
access_time23-01-2020

Lula Cabral e Geraldo Júlio assinam portaria conjunta para livre circulação de táxis no período carnavalesco
access_time23-01-2020



apps
Ver mais...